quinta-feira, 6 de janeiro de 2011

É fome ou ansiedade?

Você é guiado pelo estômago ou pelos sentimentos? Aprenda a reconhecer a diferença entre a fome física e a fome emocional e aumente suas chances de emagrecer definitivamente

 

 
Nada melhor do que começar com um exemplo prático. Então, vamos pensar em uma pessoa: a Carol. Em um sábado à noite, Carol não tem nada para fazer. Entediada, aceita o convite de seus pais para ir a uma pizzaria. Durante o jantar, ela come bastante, bebe refrigerante e, claro, não dispensa a sobremesa (uma torta de chocolate que estava di-vi-na!).

A noite em família é muito agradável, mas, já no caminho de volta para casa, Carol se sente sozinha. Recentemente, ela terminou um namoro que lhe custou muitas amizades. Agora, sem namorado nem amigos, sua vida parece estar desabando.

Ao chegar em casa, sua primeira atitude é vasculhar a geladeira, procurando algum doce para completar a sobremesa. Em seguida, Carol decide assistir a um filme - uma comédia romântica! -  para acalmar os ânimos. Bastam dez minutos em frente à televisão para ela ter a melhor ideia do dia: preparar uma pipoca, afinal, nada combina mais com um bom filme! O problema é que, ao terminar a guloseima, com muita manteiga e sal, sua boca fica seca e ele sente uma enorme sede.

Novamente, Carol paralisa o filme e vai para a cozinha, dessa vez, para beber um refrigerante geladinho. Antes de voltar para a sala, ataca mais um pedacinho chocolate, só para deixar um gosto doce na boca. Quando o filme acaba e chega a madrugada, a solitária garota decide dormir, com um terrível sentimento de culpa por ter comido tanto.

Será possível que, em apenas uma noite, Carol tenha sentido fome tantas vezes? A verdade, dizem os médicos, depende do ponto de vista. Sua fome física certamente foi saciada no jantar. No entanto, sua fome emocional ressurgiu sim, muitas e muitas vezes.

A fome física e a fome emocional
Então quer dizer que existem dois tipos de fomes? Exatamente. A fome física, ou de estômago, é a necessidade de comer para sobreviver, para repor as energias perdidas no dia a dia. Já a fome emocional é mais complexa, proveniente de vários fatores psicológicos. E é justamente ela que faz tanto mal.

“A fome emocional é aquela nos faz comer mais e mais, apesar de já estarmos satisfeitos. É ela que nos faz engordar”, explica a psicoterapeuta Rejane Sbrissa. Também conhecida como fome psicológica, ela é, na prática, qualquer tentativa de compensar solidão, estresse, ansiedade, sentimento de culpa ou de vazio e outros sentimentos através da comida. Em outras palavras, podemos dizer que essa é a fome que Carol não conseguiu saciar.

Compulsão por comida
O comer compulsivo consiste na ingestão exagerada de alimentos, mesmo quando não são necessários. Essa compulsão vem, geralmente, acompanhada de uma sensação de falta de controle sobre seus hábitos alimentares, além de sentimentos de culpa e vergonha.

“Quase todas as pessoas com esse transtorno são obesas e apresentam história de variação de peso. Além disso, são propensas a vários problemas médicos graves associados à obesidade, como o aumento do colesterol, hipertensão arterial e diabetes” analisa a doutora Rejane.

Além desses problemas, a fome emocional afeta a autoconfiança e a auto-estima, pois ela se torna um ciclo vicioso. Quanto maiores as dificuldades na vida, mais a pessoa usa a comida como ponto de fuga e, a partir disso, as dificuldades aumentam. Assim, trilha-se um caminho muito perigoso e, às vezes, sem volta.

Combatendo esse mal
“Para deixar de ser um compulsivo, é preciso agir como uma pessoa que se alimenta de maneira normal e colocar a comida em seu devido lugar”, afirma a psicoterapeuta consultada. Ela é especializada em terapia para tratamento de obesidade e idealizadora do site www.pensemagro.com.br, no qual, baseada em sua própria experiência, ela ajuda a combater a obsessão por comida.

Segundo Rejane, a melhor maneira de acabar com a fome emocional é conseguir diferenciá-la da fome física. Quando a fome emocional aparecer, diga a si mesmo que se trata apenas de um impulso passageiro e resista à tentação. Já quando a fome física se apresentar, esqueça das dietas: “coma os alimentos que você gosta sem se preocupar, mas somente até ficar satisfeito. Tentar se controlar quando o corpo realmente pede alimentos pode acabar provocando crises de compulsão alimentar no futuro”. Melhor respeitar seu organismo.

Nem sempre é fácil vencer a luta contra a fome psicológica, por isso, não se recrimine nem se culpe se, em algum momento, você comer por emoção. O importante é perceber que isso ocorreu e usar esse momento para aumentar seus esforços em não repetir a dose.

Para completar, a especialista dá uma boa notícia: “Toda vez que você se alimenta apenas pela fome do estômago, prova a si mesmo que é capaz de satisfazer suas necessidades sem exageros. Assim, vai adquirindo cada vez mais autoconfiança e força de vontade”. Quanto mais você comer dessa maneira, menor será o papel das emoções na sua alimentação.

Fonte: http://www.triada.com.br/dieta/dieta/aq171-194-260-4-e-fome-ou-ansiedade.html#anc-pagina

3 comentários:

  1. Oi Fer!!!
    Muito legal seu post.
    Em 2001 mais ou menos, eu conheci a Meta Real em SP, e fiz por um tempo, mas depois me mudei para Florianópolis.
    E lá a orientadora falava muito sobre diferenciar fome física de fome virtual (emocional).
    Dicas valiosíssimas e verdadeiras.
    Beijo!
    Aline

    ResponderExcluir
  2. Fernanda,
    Divulguei o seu blog lá no meu.
    Acredito que informações de profissionais competentes como você são sempre muito bem vindas.
    E como você tem dado dicas maravilhosas, não pude deixar de divulgar.
    Meu blog é o http://emprocessodeemagrecimento.blogspot.com/
    Beijo!
    Aline

    ResponderExcluir
  3. Oi Fernanda, vi uma indicação do seu blog no blog da Aline e vim te fazer uma visitinha, adorei seu post e me enquadro direitinho nele, tenho muita fome emocional. Estou tentando me controlar...é difícil mas vou conseguir.
    Obrigada pelas dicas, já estou te seguindo.
    Seja bem vinda no meu espaço quanto tiver um tempinho: http://marcinhalvs.blogspot.com
    Tenha um excelente dia, beijinhos.

    ResponderExcluir

Seu comentário, dúvida ou sugestão é muito bem vindo!