terça-feira, 29 de março de 2011

Nutrigenômica: Alimentação baseada no perfil genético

 

            Você sabia que o que você come pode modificar um gene e isso ser passado a outras gerações? Isso significa que o seu hábito de vida hoje pode refletir na qualidade de vida do seu neto. Podemos influenciar a predisposição genética das nossas gerações seguintes, simplesmente por nossas escolhas alimentares.

            A Nutrigenômica é a ciência que busca o entendimento para como a nutrição (compostos bioativos) afeta o equilíbrio entre a saúde e a doença por meio da alteração da expressão e/ou da estrutura de um perfil genético individual. Pode ser rapidamente definida como o estudo da relação entre o consumo de nutrientes e o código genético.

            Altura, cor dos olhos, dos cabelos, formato do nariz, da orelha, cor da pele... Grande parte das características que diferenciam os indivíduos uns dos outros é determinada pelo fator genético.            

            Recentemente, o projeto Genoma Humano mapeou todos os genes da espécie humana – aproximadamente 25 mil. No futuro, possivelmente poderemos prever com bastante antecedência o aparecimento de doenças crônicas e cânceres, por exemplo. Tendo conhecimento de que nutrientes e os compostos bioativos podem modificar a expressão genética ou alterar a estrutura do DNA, sabemos que através da alimentação podemos modular geneticamente um organismo para predispor menos ou mais ao surgimento dessas doenças.

            Um exemplo de como isso acontece é o impacto dos flavonóides na prevenção do câncer. Pesquisadores demonstraram pela primeira vez em 1996 que os flavonóides presentes nas frutas cítricas aumentam a expressão dos genes envolvidos no sistema orgânico de defesa contra o câncer. Assim serve para os genisteína da soja e seu papel na ativação dos genes que elevam os níveis de HDL- colesterol, ou o resveratrol do vinho tinto e seu estimulo nos genes que protegem tecidos contra o stress oxidativo.

            A nutrigenômica propõe que a dieta de cada indivíduo seja única, assim como é seu mapa genético. Alimentos que para um são benéficos, para outros podem ser potencialmente prejudiciais. Esta personalização pode garantir uma maior eficiência na prevenção de doenças e melhora na qualidade de vida e longevidade.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seu comentário, dúvida ou sugestão é muito bem vindo!