terça-feira, 28 de junho de 2011

Alerta para o uso abusivo de tylenol: pode ser tóxico e bem perigoso, segundo especialistas!



Li uma notícia que me impressionou no site da band.com, e divido com vocês.
Fala sobre perigo de se tomar remédios como tylenol em casos de dengue, podendo inclusive levar à morte por intoxicação hepática, já que a dengue ataque o fígado.
Mas independetemente dessa doença fica o alerta para o uso abusivo desse remedinho tão usado (e qualquer outra marca à base de paracetamol) que, segundo especialistas, pode ser na extramente tóxico e ter como efeito colateral uma sobrecarga do fígado.
Claro que esse alerta se estende especialmente às crianças pequenas, que muitas vezes passam um inverno inteiro à base de tylenol.
Para nós e para eles: vamos repensar uma forma mais natural de tratar sintomas simples como febre e dor de cabeça, buscando a prevenção através de uma alimentação saudável e deixando para situações extremas o uso de medicações.

Leiam o artigo na íntegra:

Um e-mail que circula pela internet alerta para os perigos do consumo de paracetamol, o tylenol, por pessoas com sintomas de dengue. Segundo a mensagem, o medicamento é responsável por piorar o quadro do paciente, podendo até levar à morte por insuficiência hepática.

O remédio é indicado pelo Ministério da Saúde para tratamento de sintomas da dengue, como febre e dor. O órgão defende que o paracetamol tem efeitos adversos mais favoráveis quando usado em doses terapêuticas.

O médico, pesquisador e professor da Famerp (Faculdade de Medicina de São José do Rio Preto), Renan Marino, citado como fonte das informações do e-mail, confirmou o alerta. Segundo ele, o paracetamol afeta o fígado do paciente. “A dengue causa hepatite e paracetamol também causa hepatite química. Dessa forma, o paciente pode morrer e vai ser erroneamente diagnosticado com dengue hemorrágica, quando foi causada por paracetamol.”

O especialista afirmou, ainda, que a medicação é cada vez mais incriminada como tóxica ao redor mundo, sendo que seu uso foi considerado a maior causa de transplante de fígado na Inglaterra e nos Estados Unidos. “Não tem um trabalho no mundo dizendo que pode usar paracetamol na dengue”, afirmou. “O que está por trás disso? Preservar a vida das pessoas não é”, questionou. Para Marino, a indicação do medicamento se deve a um suposto lobby no Ministério da Saúde.

Outros dois médicos, o toxicologista Anthony Wong, do Centro de Assistência Toxicológica do Hospital das Clínicas, e o infectologista da UFRN (Universidade Federal do Rio Grande do Norte), Luís Alberto Marinho também já deram depoimentos públicos contra o uso do medicamento. Wong chegou a dizer que não sabe o motivo pelo qual o remédio ainda continua sendo comercializado.

Ministério da Saúde

Já de acordo com o Ministério da Saúde, o uso do paracetamol em pacientes com dengue e com doença hepática “pode ser realizado de forma segura sem agravamento do quadro”. Em nota enviada ao eBand, o órgão defendeu que  a insuficiência hepática não é específica da dengue e que a hepatite fulminante causada pela doença é “raríssima”. “O paracetamol tem sido preferencialmente usado na prática clínica devido a menor indução de irritação digestiva”, justificou o ministério.

O órgão ressaltou ainda que a recomendação de uso do paracetamol é feita aos médicos e que o paciente não deve tomar medicamento por conta própria. “Ao surgirem os sintomas, a pessoa deve ir ao serviço de saúde mais próximo”. Outro remédio indicado para conter os sintomas da dengue é a dipirona.

Ainda assim, o médico Renan Marino entrou com uma representação contra o Ministério da Saúde no Ministério Público Federal, que aceitou a denúncia e deve investigar o caso. “O que mata na dengue é o paracetamol. Por negligência, o Ministério da Saúde é um dos maiores responsáveis.”

segunda-feira, 27 de junho de 2011

Muffin de aipim: receita gostosa para acompanhar a sopinha do inverno!



Essa é uma receita perfeita para acompanhar uma sopa nos dias frios.
Muffin de aipim, ou mandioca para os paulistas.

"Segundo a Medicina Tradicional Chinesa as raízes nos trazem a profundidade, reconectam com o elemento terra.
São ótimas para desenvolver o raciocínio, intelecto, colocar em prática, botar em ação.
Quando estiver precisando de um pouco mais de firmeza, pé no chão,consistência, abuse das raízes.
Baroa, aipim, inhame, cará,... vale qualquer uma, ou melhor ainda um mix com todas."


Modo de fazer:
Cozinhe 01 quilo de aipim manteiga no vapor, deixe bem derretido.
Esprema com o auxílio de um espremedor de batatas ou com o garfo mesmo.
Faça uma massa com o aipim e um pouco de azeite e orégano.
Forre o fundo de forminhas de muffins de silicone com essa massa.

Recheio:
Faça no forno ou na Wok um mix de cogumelos:
01 pote de champignon
01 xicara de shimeji
01 xicara de shitake
Misture com azeite e regue com um pouco de shoyu.

Coloque esse recheio sobre a massa de aipim.
Cubra com o restante da massa de aipim.
Salpique por cima gergelim branco e preto .
Leve ao forno para gratinar por uns 20 minutos.

Pode-se também acrescentar pedacinhos de mussarela de búfala no mix de cogumelos.


Eu confesso que ainda não testei pois não tive tempo.
Tirei a receita e informações do blog da jornalista e pesquisadora alimentar Júlia Comodo (http://diariodeumanatureba.blogspot.com/), de quem sou super fã.

E concordo 100% com o que ela diz:
"Deveríamos consumir mais aipim, cará, inhame do que batata inglesa.
Alimentos tipicamente brasileiros, mais leves e nutritivos!"

terça-feira, 21 de junho de 2011

Mal humor, ansiedade, depressão? Veja a alimentação correta para levantar serotonina

Eu aposto que você já deve ter ouvido falar na famosa serotonina, estou certa?                           Mas você sabe o que é e para que serve?
Serotonina é um neurotransmissor no nosso corpo que dita o nosso estado de humor.
Na falta dela ficamos mal humorados, pessimistas, irritados, ansiosos, compulsivos (principalmente por carboidratos) e com dificuldades para dormir... ou seja, um caco!
Claro que queremos mantê-la lá em cima o tempo todo, mas como isso é possível sem recorrer à medicamentos antidepressivos e supressores da fome?
Intestino!
Em primeiro lugar, e mesmo que isso não pareça fazer sentindo, temos que pensar no estado do nosso intestino.
Isso porque pelo menos 70% da nossa serotonina é formada lá, e isso é um número beeeem expressivo.
Os medicamentos nunca vão agir num aumento de produção desse neurotransmissor, apenas vão deixá-lo mais disponível e circulante em nosso cérebro. Mas o grande responsável pelo aumento mais significativo da sua produção é sim o nosso intestino.
Gases, estufamento, diarréia ou constipação são alguns sinais de que a coisa não vai bem.
Mas esses sintomas não são regras, há muitas pessoas com o intestino bem bagunçado e sem nenhum sintoma aparente.
Para cuidar do intestino há uma lista enorme de medidas a serem tomadas, entre elas estão o hábito de tomar suplementos probióticos com frequência e ter uma alimentação com escolhas e combinações saudáveis e que favoreçam a boa digestão.
Mas além de pensar no intestino, temos que pensar também nos nutrientes importantes que são a base para a formação da tão famosa serotonina.
São bem interessantes para ser usados na forma de suplementos, mas boas escolhas alimentares são indispensáveis já que é o que fazemos todos os dias e por várias vezes.


O fundamental triptofano
O nutriente mais importante que faz a formação da serotonina é o triptofano.
Ele, junto a outras vitaminas, é o grande responsável pela formação da dita cuja.
Entre as fontes desse aminoácido estão principalmente os alimentos ricos em carboidratos como pães, cereais integrais, biscoitos integrais, massas integrais, arroz integral, algumas frutas, legumes e chocolate amargo (com moderação).
Esses alimentos têm o poder de nos deixar alegres, satisfeitos e relaxados, como um efeito calmante mesmo (pode perceber que quando você está ansioso ou triste, geralmente busca compensação nesses alimentos- seu corpo está atrás de serotonina).

Mas além do triptofano, existem outros nutrientes que também são importantes para manter o mal humor e o baixo astral bem longe.

Tirosina : Proteínas que dão alegria
O processo de digestão das proteínas fornece os aminoácidos para o nosso corpo formar suas próprias proteínas. Um aminoácido conhecido como tirosina está relacionado com a produção de dopamina e adrenalina, ambos, neurotransmissores que promovem o estado de alerta, o "pique" e a alegria.

Fontes de tirosina: peixes, carnes magras, aves sem pele, ovos, leguminosas, nozes e castanhas, leite e iogurte desnatados, queijos magros e tofu.

Folato anti-depressão
O Folato ou ácido fólico é uma potente vitamina antidepressiva natural.

Em baixas concentrações no organismo, diminui os níveis cerebrais de serotonina.

Fontes de Folato: espinafre, feijão branco, laranja, aspargo, couve de Bruxelas, maçã e soja.

Vitamina B6
Faz parte de uma enzima "chave" que participa da produção dos neurotransmissores norepinefrina e serotonina e conseqüentemente melhora o humor.

Fontes de B6: frango, atum, banana, cereais integrais, levedo de cerveja, arroz integral, cará, alho e sementes de gergelim.
 

Magnésio
Esse importante mineral, além de participar da absorção de cálcio pelos ossos, tem o poder de controlar nossa irritação, alteração de humor e retenção de líquidos.

Além disso participa da produção de energia, da contração muscular, da manutenção da função cardíaca normal e da transmissão dos impulsos nervosos.

Fontes de Magnésio: tofu, soja, caju, tomate, salmão, espinafre, aveia, arroz integral.

Selênio
Segundo os pesquisadores, tudo indica que o selênio tem uma grande participação no estado de humor. Pessoas que tem carência de selênio são mais depressivas, irritadas e ansiosas. 

Fontes de selênio: castanha do Pará, nozes, amêndoas, atum, semente de girassol, trigo integral, peixes. (2 castanhas do Pará, diariamente, fornecem 200 microgramas de Selênio de forma segura).


Omega-3
Os estudos clínicos vem mostrando que os ácidos graxos ômega-3, além de todo seu papel cardioprotetor e fortalecedor do sistema imunológico, têm um efeito importante nos tratamentos contra depressão, principalmente por causa do DHA.
Pessoas que recebem doses de ômega-3 diariamente apresentam melhora significativa nos sintomas de depressão.

Fontes de ômega-3: salmão, atum, bacalhau, arenque, cavalinha, sardinha, truta, óleos de peixe e sementes de linhaça. 

Pimenta
As pesquisas científicas constataram que o uso da pimenta vermelha, durante às refeições, tem efeitos estimulantes no Sistema Nervoso Simpático com aumento da liberação de noradrenalina e adrenalina, ambos responsáveis pelo estado de alerta e melhora de ânimo em pessoas deprimidas.
Além de incluir esses alimentos no seu cardápio diário, é importante evitar o consumo excessivo de corantes, conservantes e tudo mais que for química (não custa reforçar mais uma vez), pois se acumulam em nosso corpo e cérebro alterando as funções hormonais e cognitivas.


Isso tudo além do básico: evitar tudo mais que seja em excesso- álcool, sal, açúcar, frituras e, claro, pessoas e pensamentos negativos e baixo astral!

algumas informações desse texto foram retiradas do site: http://www.estimulacao.com.br/alimentos_antidepressivos.htm

terça-feira, 14 de junho de 2011

A melhor dica de saúde do mundo

Diminuir a quantidade açúcar, sal e frituras; comer mais grãos, alimentos integrais, frutas e verduras; ter uma alimentação variada, tomar muita água e não exagerar nas quantidades.... Todas essas orientações são importantes e segui-las é garantia de uma vida mais saudável e longa.
Mas se tivesse que dar uma só dica, se precisasse escolher a melhor dica de saúde para deixar a meus filhos e netos, sem dúvida ela seria:
COMAM MENOS PLÁSTICOS!!!!

Grande parte dos alimentos que comemos hoje são metade alimentos, metade plástico :-(
Isso porque é muito difícil (porém não impossivel) uma vida 100% free de alimentos industrializados.
Iogurtes, biscoitos, cereais... sempre tem um produto de potinho ou de caixinha em nossas vidas, que a indústria mexeu e acrescentou ingredientes químicos para que durem mais, fiquem mais coloridos, atrativos e gostosos.
Mas o que de fato você prefere: um iogurte natural branco, que você pode bater com morangos frescos e perfumados, ou um iogurte pink, perfumadíssimo e cheio de espessante, com cheiro de plástico?
Acho que ficamos preguiçosos para preparar lanchinhos, organizar nosso dia, e deixar os industrializados para os momentos de extrema necessidade, situações onde os horários sairam fora do planejamento e parar para preparar um lanchinho ou comer uma fruta se tornou inviável (e ainda nessas situações existem frutas secas e castanhas).
É que nossa saúde não é priorizada e sim o trabalho, a pressa e a correria.
Mas essa conta uma dia vem...

E o engraçado é que muita gente escolhe esses produtos pensando ser a melhor opção saudável disponível... a verdade é que mesmo havendo algumas marcas mais preocupadas em não acrescentar tanta porcaria como ingrediente de seus produtos, uma fruta é sempre muito mais nutritiva do que qualquer alimento que fique na prateleira de um supermercado por meses.
Um bolo caseiro é muito mais saudável do que aqueles bolinhos para crianças em embalagens individuais, tão práticos mas também tão artificiais (já esqueci um numa bolsa por alguns meses e nada aconteceu... eca!).
Um pão de queijo pode ser melhor do que uma bolacha de pacote.
O consumo excessivo e cumulativo de tanto corante, adoçante, aromatizante, conservante e emulsificante contribui para distúrbios hormonais, alergias, perdas de memória e concentração, tumores e intoxicações hepáticas.
Isso sem contar outros efeitos a longo prazo que ainda não foram totalmente elucidados.

A regra é simples: quanto mais próximo da natureza o alimento estiver e menos processado ele for, mais fácil será para o seu organismo absorvê-lo e utilizá-lo em todo o seu potencial.
Já se ele for embutido, aditivado, plastificado, o alimento fica muito distante da natureza, e o seu corpo não o reconhece: resiste, rejeita, não sabe o que fazer com aquele tóxico, guardando ele num canto do corpo.
Diferente do natural, esse não entra e sai. Ele fica, intoxica e se acumula.
Por isso procure sempre ler o rótulo de tudo que for levar para a sua casa.
Quanto mais ingredientes estranhos tiver, quanto mais "antes", números e qualquer outra coisa que você não conheça... evite!
Prefira comer o que você reconhece e assim serve para o seu organismo também.
Respeite seu corpo e ele respeitará você.

sexta-feira, 10 de junho de 2011

Estudo mostra que carboidrato à noite não engorda!

Para quem ainda acredita que a restrição de carboidratos à noite é a melhor solução para enxugar os quilinhos a mais, vejam o resultados desse estudo publicado na revista Obesity do mês de abril:
Setenta e oito policiais obesos foram divididos em grupos que consumiam e não consumiam carboidratos à noite. Foram avaliadas a perda de peso, sensação de fome e saciedade, parâmetros inflamatórios e bioquímicos. Por incrível que pareça, os policiais que consumiram carboidratos à noite perderam mais peso, tinham menos fome, valores de glicose sanguínea, colesterol, LDL-c e HDL-c mais estáveis, menos inflamação (avaliada pelos valores de proteína C reativa, fator de necrose tumoral e interleucina-6).
Esse resultado confirma que ao falarmos em carboidratos, o foco deve ser na qualidade de escolha e no controle na quantidade ingerida, mas não na restrição completa. Trocar o pão, macarrão e arroz branco pelas versões integrais e comê-los em quantidades moderadas continua sendo a melhor orientação para uma população em geral.
Greater Weight Loss and Hormonal Changes After 6 Months Diet With Carbohydrates Eaten Mostly at Dinner. Obesity , (7 April 2011).


quarta-feira, 8 de junho de 2011

Ração Humana - eu não gosto e você?


É uma pena que muitas vezes as notícias sobre alimentos se contradizem num curto período de tempo, o que pode deixar as pessoas confusas e inseguras sobre se estão fazendo mesmo as melhores escolhas alimentares.
O grande problema é que há uma busca incessante por uma solução milagrosa para os problemas de saúde, o que leva à um consumo exagerado de um alimento dito saudável, e isso por si só já não é um hábito saudável.
E as indústrias sabem o que o povo quer... ressucitam um fitoterápico usado há anos, divulgam em algumas revistas e aí está o bum da caraluma. Depois misturam todos os farelos que existem por aí e colocam um nome... voilá, mais um produto. Fique atento à isso, pois eles tem a necessidade comercial de estar sempre colocando novidades no mercado, mas nem sempre são novidades e nem sempre são boas pra você.

Eu, particularmente nunca gostei da ração humana. Primeiro porque em geral são indutrializadas, depois porque nem todo mundo precisa de todos os farelos que estão ali (algumas pessoas podem inclusive ter consequencias negativas com o consumo de guaraná em pó por exemplo), e finalmente porque quando misturamos um pouco de tudo o resultado é muito de nada, com a única vantagem de um teor alto de fibras, o que pode ser conseguido de outras maneiras.
Prefiro individualizar o consumo de farelos e focar em um só, dependendo do sintoma e objetivo do paciente - perda de peso, diabetes, memória, pele, celulite, colesterol alto...
A orientação para o consumo dessa mistura, ao meu ver, serviria para uma população e nunca como substituto de refeição.
Mas ninguém quer receber uma orientação tão abrangente não é? Enão sei você, mas eu me recuso a consumir algo que tenha o nome de ração.

Ontem saiu no jornal Folha de São Paulo uma matéria falando sobre isso:

Anvisa veta uso do nome 'ração humana' em rótulo
ANGELA PINHO
DE BRASÍLIA
Na moda em dietas, as "rações humanas", compostas de cereais e fibras e encontradas em mercados em todo o país, estão na mira da Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária).
A agência divulgou nesta terça-feira um alerta de que a substituição de uma refeição por esse produto traz riscos à saúde, já que ele não tem todos os nutrientes necessários para a alimentação saudável.
A nota também deve dizer que os produtos não podem usar o nome de "ração humana" nem colocar no rótulo propriedades medicinais, como redução de colesterol.
Estão liberadas frases que informem que o composto faz bem para a saúde (por exemplo, que melhora o funcionamento do intestino).
Mas, para isso, os fabricantes terão que pedir o registro do alimento na Anvisa e apresentar estudos que demonstrem essas características.
A iniciativa surgiu após questionamentos de órgãos de vigilância estaduais sobre esses produtos, afirma Ana Cláudia Araujo, especialista em alimentos da Anvisa.
"O nome `ração humana' pode induzir o consumidor a engano e não diz claramente o que é aquele alimento."
Segundo ela, alimentos vendidos com essa nomenclatura já estão em desacordo com a legislação sanitária.
As empresas responsáveis devem ser notificadas e receberão um prazo para cumprir a medida. Caso isso não ocorra, estão sujeitas a multa de até R$ 1,5 milhão.

O que vale aqui e sempre é a seguinte orientação: nunca coma nada que você não sabe o que seja e nem pra que sirva!


Editoria de Arte/Folhapress

segunda-feira, 6 de junho de 2011

Como aumentar a imunidade das crianças


Os primeiros dias mais frios do ano são uma delícia... agasalhos, lareira, edredom... e a sensação de que o inverno está mesmo chegando.
O problema é que depois que somos mães, a mudança de temperatura pode trazer além de agasalhos muito cansaço e preocupação. 
Visitas constantes ao pediatra, narizinhos entupidos, febres e noites sem sono nos deixam esgotadas e com o coração na mão.
Quem é mãe sabe o cansaço e preocupação que é ter um filho doente em casa.
Além da exaustão física de ter um colo 24 horas à disposição, tem também o cansaço emocional de ver nossos pequeninos sofrendo com tosses, viroses, dificuldades para respirar e engolir e tantas outras coisas chatas.
Isso sem contar que doentinhos não querem comer bem e ainda faltam a escola, o que nos deixa ainda mais esgotadas e desesperadas!

Vamos falar então sobre medidas e escolhas alimentares para aumentar a imunidade dos pequenos e evitar esses momentos tão desgastantes.

À começar pela alimentação:
- Asim que começar a esfriar (ou melhor ainda durante o ano todo) ofereça à seu filho muitos sucos verdes naturais feitos no liquidificador ou na centrífuga, com frutas frescas como laranja, abacaxi, melancia, melão + um vegetal como couve ou espinafre;
- Evite oferecer ao pequeno alimentos refinados como pão, macarrão e arroz branco. Os integrais são muito mais nutritivos e seu consumo deve ser estimulado desde cedo. Quanto antes a criança for acostumada com esses alimentos, mais chances há de ter uma alimentação equilibrada a vida toda;
- O abacate é um dos alimentos mais nutritivos do planeta: ofereça inicialmente uma colher de chá puro. Caso não haja aceitação misture à uma banana amassada ou mel (acima de 1 ano!) para ficar docinho. Como o abacate é extremamente cremoso, muitas crianças aceitam-o bem puro;
- Farelos como linhaça dourada, gérmen de trigo, farelo de quinua, chia e aveia também devem ser incluidos na dieta dos pequenos pois são extremamente nutritivos. Tudo sem exageros e de acordo com a idade, nunca ultrapassando a quantidade de 1 col. de sopa ao dia para não exceder o teor total de fibras recomendado (recomendo iniciar com 1 col. de chá/ dia). Uma boa dica é incluir esses farelos em preparações como panquecas, bolos, tortas ou amassados com futas;
- Se o seu filho está com muito catarro, corte os alimentos derivados do leite por alguns dias, já que eles aumentam significativamente a quantidade de muco produzida pelo corpo. Troque a mamadeira de leite de vaca por leite de arroz, aveia ou eventualmente de soja. Esses leites tem sabor suave e geralmente são bem aceitos pelos pequenos (e se não for, faça um meio a meio com o leite de vaca);
- Por ser fermentado, o iogurte tem uma digestão mais fácil, promovem menor produção de muco e são fontes de lactobacilos importantes para a imunidade. Mas não adianta oferecer um iogurte cheio de açúcar e corantes, como os infantis encontrados por aí. Lembre que iogurte de morango dificilmente é feito com a fruta e sim corante rosa e aromatizantes sabor morango. Opte pelos naturais branquinhos e para adoçar use mel (se seu filho tiver mais de 1 ano), xarope de agave, frutose em pó ou açúcar mascavo;
- Aliás, evite ao máximo oferecer alimentos industrializados ricos em "antes"- corantes, espessantes e conservantes. Alguns exemplos: alguns suquinhos, biscoitos, salgadinhos ou qualquer outro produto de pacote. Eles desequilibram o organismo e também aumentam a produção de muco pelo corpo;
- Ofereça em abundância vegetais e frutas coloridas. Entre os mais ricos em compostos antioxidantes estão o brócolis, tomate,  cenoura, espinafre (não todos os dias), couve, uva, laranja, abacate, morangos (só se forem orgânicos), maçã e limão (em sucos);
- Não esqueça de ofereçer muitos líquidos, na forma de água ou água de côco natural.
No inverno sentimos menos sede, mas isso não significa que devemos beber menos líquidos. Os líquidos são imprescindíveis para deixar as vias nasais umedecidas e evitar as irritações provocadas pelo clima muito seco dos dias frios;
- A maçã e a cebola são ricas em quercetina, um flavonóide que protege o corpo de vírus e bactérias oportunistas e ainda tem uma função antiinflamatória das vias aéreas;
- O alho é outro alimento com propriedades antiinflamatórias e antibactericidas. Acrescente um ou dois dentinhos no preparo da papinha;
- Outro alimento que tem um ótimo papel na imunidade é o óleo de côco. Inclua em receitas ou acrescente em vitaminas, iogurte ou amassado com frutas. 1 col. de chá ao dia para começar;
- Temperos como salsinha, orégano, alecrim, tomilho, canela, hotelã, gengibre e manjericão são ótimos coadjuvantes na prevenção ou na recuperação de gripes e resfriados, além de terem muitas vezes propriedades expectorantes . Use em pequenas quantidades em preparações salgadas, frutas, sucos ou na forma de chás;
- Não deixe faltar proteínas no prato. Carne, frango, peixe, ovo caipira e leguminosas (feijão, lentilha, ervilha, grão de bico) são ricos em zinco, nutriente que combate resfriados, gripes e outras doenças do sistema imunológico;
- Evite ofereçer guloseimas, mesmo que seu filho não consiga comer de tudo;
- Procure oferecer alimentos de fácil mastigação como sopas nutritivas, purês, mingau de aveia e frutas - frescas ou na forma de um purê quentinho;
- Se você amamenta, saiba que seu leite é o que há de melhor para a imunidade de seu filho. Por isso, amamente na maior frequência que puder.

Suplementação e Homeopatia:

Crianças e até bebês podem fazer uso uma suplementação de vitaminas, desde de qualidade e orientada por um bom profissional.
Elas podem ter um efeito muito positivo na melhora da imunidade, disposição e concentração, melhorando as defesas naturais do corpo.
Costumo usar em meus pequenos pacientes gotinhas de vitamina C e complexo B, além de multivitaminicos líquidos ou na forma de pastilhas (sem açúcar ou corantes- geralmente importados).
Lactobacilos são essenciais para qualquer melhora de imunidade já que é no intestino que a formação do nosso sistema imune está mais concentrada. Existem alguns produtos na forma de sachet para ser dissolvido em água ou leite que tem um ótimo efeito e não deixam gosto residual. Os "bichinhos bons" devem ser usados também após qualquer tratamento com antibióticos, para repovoar a flora intestinal com bactérias boas (e nada de líquidos cheio de ácucar e leite, assim mesmo que haja uma leve reposição de lactobacilos, há substrato para o crescimento das batérias ruins).
Outro suplemento que pode ser usado pelos pequenos é o fitoterápio Echinacea purpurea, excelente estimulante da imunidade
Geléia real e própolis também são excelente para a prevenção e tratamento de gripes, resfriados e dores de garganta.

Quanto à homeopatia, costumo usar os produtos da Weleda como Previgrip, Sinudorum e Infludo. O primeiro evita a chegada da gripe enquanto que os outros aliviam naturalmente os sintomas de nariz entupido e mal estar.

Para estomatites (aftas horríveis na boca e garganta causadas geralmente por um vírus) usei Borax CH6, 3 glóbulos 2 x ao dia e funcionou.

Mas atenção: Essas são experiências pessoais! A indicação homeopática depende de vários fatores, entre eles a personalidade da criança e o conjunto de sintomas, por isso, se tiver vontade de tratar seu filho com homeopatia, procure um bom médico especialista na área.
Evite ofereçer remédios alopáticos com muita frequência, mas reconheça que em algumas situações é inevitável.

Além de todas essas dicas, vale lembrar do óbvio: agasalhe bem seu filho, não o deixe andando sem meias, cuide com correntes de ar frio na hora do banho, deixe um humidificador de ar ligado ou uma toalha molhada no quarto da criançasempre que possível, já que o tempo seco (de SP em especial) resseca o sistema respiratório deles (e de todos nós). Ah, e por ultimo o mais importante: muito colo e muito carinho!

Não esqueça de cuidar também da sua saúde porque pior que cuidar de filho doente é cuidar doente de filho doente!!!

Boa sorte ;)