terça-feira, 28 de junho de 2011

Alerta para o uso abusivo de tylenol: pode ser tóxico e bem perigoso, segundo especialistas!



Li uma notícia que me impressionou no site da band.com, e divido com vocês.
Fala sobre perigo de se tomar remédios como tylenol em casos de dengue, podendo inclusive levar à morte por intoxicação hepática, já que a dengue ataque o fígado.
Mas independetemente dessa doença fica o alerta para o uso abusivo desse remedinho tão usado (e qualquer outra marca à base de paracetamol) que, segundo especialistas, pode ser na extramente tóxico e ter como efeito colateral uma sobrecarga do fígado.
Claro que esse alerta se estende especialmente às crianças pequenas, que muitas vezes passam um inverno inteiro à base de tylenol.
Para nós e para eles: vamos repensar uma forma mais natural de tratar sintomas simples como febre e dor de cabeça, buscando a prevenção através de uma alimentação saudável e deixando para situações extremas o uso de medicações.

Leiam o artigo na íntegra:

Um e-mail que circula pela internet alerta para os perigos do consumo de paracetamol, o tylenol, por pessoas com sintomas de dengue. Segundo a mensagem, o medicamento é responsável por piorar o quadro do paciente, podendo até levar à morte por insuficiência hepática.

O remédio é indicado pelo Ministério da Saúde para tratamento de sintomas da dengue, como febre e dor. O órgão defende que o paracetamol tem efeitos adversos mais favoráveis quando usado em doses terapêuticas.

O médico, pesquisador e professor da Famerp (Faculdade de Medicina de São José do Rio Preto), Renan Marino, citado como fonte das informações do e-mail, confirmou o alerta. Segundo ele, o paracetamol afeta o fígado do paciente. “A dengue causa hepatite e paracetamol também causa hepatite química. Dessa forma, o paciente pode morrer e vai ser erroneamente diagnosticado com dengue hemorrágica, quando foi causada por paracetamol.”

O especialista afirmou, ainda, que a medicação é cada vez mais incriminada como tóxica ao redor mundo, sendo que seu uso foi considerado a maior causa de transplante de fígado na Inglaterra e nos Estados Unidos. “Não tem um trabalho no mundo dizendo que pode usar paracetamol na dengue”, afirmou. “O que está por trás disso? Preservar a vida das pessoas não é”, questionou. Para Marino, a indicação do medicamento se deve a um suposto lobby no Ministério da Saúde.

Outros dois médicos, o toxicologista Anthony Wong, do Centro de Assistência Toxicológica do Hospital das Clínicas, e o infectologista da UFRN (Universidade Federal do Rio Grande do Norte), Luís Alberto Marinho também já deram depoimentos públicos contra o uso do medicamento. Wong chegou a dizer que não sabe o motivo pelo qual o remédio ainda continua sendo comercializado.

Ministério da Saúde

Já de acordo com o Ministério da Saúde, o uso do paracetamol em pacientes com dengue e com doença hepática “pode ser realizado de forma segura sem agravamento do quadro”. Em nota enviada ao eBand, o órgão defendeu que  a insuficiência hepática não é específica da dengue e que a hepatite fulminante causada pela doença é “raríssima”. “O paracetamol tem sido preferencialmente usado na prática clínica devido a menor indução de irritação digestiva”, justificou o ministério.

O órgão ressaltou ainda que a recomendação de uso do paracetamol é feita aos médicos e que o paciente não deve tomar medicamento por conta própria. “Ao surgirem os sintomas, a pessoa deve ir ao serviço de saúde mais próximo”. Outro remédio indicado para conter os sintomas da dengue é a dipirona.

Ainda assim, o médico Renan Marino entrou com uma representação contra o Ministério da Saúde no Ministério Público Federal, que aceitou a denúncia e deve investigar o caso. “O que mata na dengue é o paracetamol. Por negligência, o Ministério da Saúde é um dos maiores responsáveis.”

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seu comentário, dúvida ou sugestão é muito bem vindo!