sexta-feira, 29 de julho de 2011

Participação no programa "Você Bonita"da TV Gazeta

Ontem participei do programa "Você Bonita"da TV Gazeta, falando sobre o xarope da agave, mel e outros açucares.
Assistam!

quarta-feira, 27 de julho de 2011

Amaranto, o cereal cheio de proteína

O sol forte é sinal de seca no Planalto Central. No Centro-Oeste, cresce uma planta que veio do frio dos Andes para o calor do Cerrado. O amaranto é um arbusto com flores grandes, consumido na região do Peru desde o tempo dos incas. O poder da planta está nas flores carregadas de sementes.

"Mil sementes de amaranto pesam em torno de 1 g. Então, se uma planta produzir 30 g, são 30 mil sementes", ressalta o agrônomo Carlos Spehar, da Universidade de Brasília (UnB).

José Carlos Sphear é o pioneiro na pesquisa do amaranto, que ele chama de feijão dos Andes. O grão tem duas vezes mais proteínas do que o trigo comum. E essas qualidades convenceram o professor a buscar sementes fora do país para plantar no Cerrado. Assim, nascia o amaranto brasileiro que se deu bem no clima quente e que chega até dois metros de altura.

"Esse crescimento é muito rápido. Nos primeiros 15 dias, você não dá nada por ela. Depois, ela dispara a crescer. Ela cresce mais rápido do que uma soja no mesmo período", explica o agrônomo.

A fazenda de Sebastião Conrado de Andrade é a maior do Brasil em produção de amaranto. A confiança no futuro da produção do grão andino vem dos resultados colhidos nas primeiras safras. "São cerca de 2 mil quilos, com a mesma composição dos andinos. Conseguimos adaptar essa planta ao Cerrado", diz o fazendeiro.

A campanha pelo uso do amaranto ganhou adeptos em instituições do país inteiro que se dedicam a estudar as propriedades do grão. Na Universidade de São Paulo (USP), os pesquisadores já desenvolveram mais de 30 receitas usando a farinha de amaranto.

O professor José Arêas, do Departamento de Nutrição da Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo (USP), também se rendeu às propriedades do pequeno grão.

"Ele tem uma quantidade maior de proteína de alto valor biológico e também uma grande quantidade de cálcio de ferro e de zinco. Além disso, possui uma quantidade de fibra bastante alta. O amaranto passou a ser estudado a partir dos anos 60 em vários locais no mundo. Assim, a plantação e o consumo do amaranto começaram a se popularizar”, explica o pesquisador da USP.

Orientados pelo professor Arêas, os pesquisadores da Faculdade de Nutrição da USP foram mais longe: conseguiram comprovar em um estudo feito com hamsters, durante dois meses em 2005, que o amaranto reduz os níveis do colesterol total do sangue, ou seja, a gordura que vai formar placas nas veias e artérias.

"A dieta que continha amaranto fez com que esse colesterol despencasse realmente. Todos os colesteróis ruins foram para baixo, e os colesteróis bons foram relativamente mantidos. As proteínas do amaranto são as grandes responsáveis por essa redução. A partir daí, a gente começou a estudar quais seriam os mecanismos envolvidos", aponta o professor.

Leda Nogueira e Ivone Nunes sentiram na pele, ou melhor, no sangue, o que o laboratório havia testado. As caminhadas pelo calçadão de Vila Velha, no Espírito Santo, foram apenas parte da rotina para melhorar a saúde.

Ivone é administradora de empresas e, há três anos, descobriu que tinha problemas com colesterol alto. Registrava 246, no total. Leda é professora e chegou a 187 de colesterol. As duas corriam risco de desenvolver doenças no coração.

A saúde de Leda e Ivone começou a melhorar pelo cardápio. Elas passaram a comer biscoitos de amaranto todos os dias antes do almoço. Foram apenas duas semanas de experiência, sem mudança no estilo de vida e sem dieta. E os resultados foram impressionantes.

Foram recomendados até cinco biscoitos por dia de farinha de amaranto para Ivone e Leda.

"É um biscoito muito gostoso. A única coisa ruim da pesquisa é ficar restrito a comer só cinco durante o dia", comenta a pedagoga Leda Nogueira.

"Lembra um pouquinho o biscoitinho de aveia. Acho que por causa das fibras que tem", diz a administradora Ivone Nunes.

Tudo começou no Complexo de Atividades Biopráticas, do Centro Universitário de Vila Velha (UVV). Leda e Ivone estavam no grupo de 20 voluntários que participaram da pesquisa com a nutricionista Danielle Mohallem Pessanha, sob a orientação da professora Angela Ghizi. Metade do grupo recebeu, sem saber, biscoitos de aveia. E a outra comeu os de amaranto.

"Baixou em 16% o colesterol dos voluntários. E o mais gratificante e interessante é que o período da pesquisa foi de duas semanas. Quer dizer, baixou 16% em um período muito curto", afirma a nutricionista Danielle.

E não foi só: o resultado trouxe uma surpresa.

"Quando eu chegava em casa, não sentia aquela fome à noite. Eu percebi que, durante essas duas semanas, não sentia fome à noite", conta a administradora Ivone Nunes. "O biscoito tirou essa fome noturna. Eu não sentia mais essa necessidade”, concorda Leda.

"No total, 67% de voluntários relataram que, à noite, eles não sentiam fome por conta da ingestão desse cookie", alega a nutricionista Danielle.

É difícil acreditar que essa sensação de saciedade venha de um grão tão minúsculo. Mas o amaranto é poderoso e vira até pipoca. É que o grão fica melhor e mais fácil de usar quando é estourado.

"É mais interessante fazer a pipoca, porque, quando moemos, fica uma farinha mais fininha e mais nutritiva", aponta a nutricionista Bruna Menegassi, da USP.

O amaranto quase não tem gosto. E talvez essa seja uma grande qualidade, pois a farinha pode ser usada em inúmeras misturas sem comprometer o sabor e adicionando todas as boas propriedades ao alimento.

Além da pipoca, há um número sem fim de receitas feitas com o grão andino. Algumas com 20%, outras com 30% de farinha de amaranto. O bolo de banana é top de linha. Mas existem cookies, sequilhos, paçoquinha.

"A gente está testando e tentando aumentar os níveis de amaranto na paçoca. Nessas preparações, além de incluir esse alimento diferente, a gente aumenta o teor de fibras e de proteínas", explica a química Rosana Soares, da USP.

Fonte: Matéria exibida no Globo Repórter, no dia 03.07.2009


Receita

Biscoito de Amaranto

Ingredientes

1 xícara de
amaranto em grãos
1 xícara de farinha de
amaranto
2 xícaras de amido de milho
3/4 de xícara de água ou leite de soja
2 ovos
1/2 xícara de manteiga
1/2 xícara de açúcar demerara
1 colher (sobremesa) de fermento químico
1 colher (sobremesa) de sal

Preparo

Deixe o amaranto em grãos de molho por uma noite. Moa no liquidificador, com água, e adicione os ovos, o sal e o açúcar demerara. Despeje em uma tigela, bata com a manteiga, o amido e a farinha de amaranto. Adicione o fermento por último. Unte as bandejas e despeje em pequenas quantidades. Leve ao forno pré-aquecido a 180°C. Retire quando começar a dourar (20 a 30 minutos).

sexta-feira, 22 de julho de 2011

Dificuldade para perder peso, compulsão por doces, inchaço, gases? Saiba o que pode estar faltando no prato!

Quando buscamos mais saúde, é comum associarmos apenas o excesso alimentar a causa de problemas.
Mas a verdade é que, em geral, estamos comendo demais e nos nutrindo de menos, e a falta de alguns nutrientes que é responsável por alguns desequilíbrios.
Veja abaixo os nutrientes e alimentos associados aos desequilíbrios mais comuns.


1. DIFICULDADE DE PERDER PESO
O QUE ESTÁ FALTANDO: ácidos graxos essenciais, vitamina A e fibras
ONDE OBTER: semente de linhaça, cenoura e salmão, alimentos integrais, frutas e verduras + suplementos

2. RETENÇÃO DE LÍQUIDOS
O QUE ESTÁ FALTANDO: equilibrio entre o potássio, fósforo e sódio
ONDE OBTER: água de coco, pêssego, ameixa, figo, amêndoa, nozes, acelga, coentro + suplementos

3. COMPULSÃO POR DOCES
O QUE ESTÁ FALTANDO: cromo
ONDE OBTER: cereais integrais, nozes, centeio, banana, espinafre, cenoura + suplementos

4. CÂIMBRA, DOR DE CABEÇA
O QUE ESTÁ FALTANDO: potássio, magnésio e cálcio
ONDE OBTER: banana, cevada, milho, manga, pêssego, acerola, laranja, couve, gergelim

5. DESCONFORTO INTESTINAL, GASES, INCHAÇO ABDOMINAL
O QUE ESTÁ FALTANDO: lactobacilos vivos
ONDE OBTER: coalhada, iogurte, missô + suplementos

6. MEMÓRIA RUIM
O QUE ESTÁ FALTANDO: acetilcolina, inositol
ONDE OBTER: lecitina de soja, gema de ovo + suplementos

7. HIPOTIREOIDISMO (PROVOCA GANHO DE PESO SEM CAUSA APARENTE)
O QUE ESTÁ FALTANDO: iodo
ONDE OBTER: algas marinhas, cenoura, óleo, pêra, abacaxi, peixes de água salgada e sal marinho

8. CABELOS QUEBRADIÇOS E UNHAS FRACAS
O QUE ESTÁ FALTANDO: colágeno
ONDE OBTER: peixes, ovos, carnes magras + suplementos

9. FRAQUEZA, INDISPOSIÇÃO, MAL-ESTAR
O QUE ESTÁ FALTANDO: vitamina C, ferro, complexo B
ONDE OBTER: cereais integrais, castanhas, frutas cítricas, carnes magras, feijão + suplementos

10. COLESTEROL E TRIGLICERÍDEOS ALTOS
O QUE ESTÁ FALTANDO: Ômega 3 e 6
ONDE OBTER: sardinha, salmão, abacate, azeite de oliva

11. CELULITE, RUGAS, FLACIDEZ
O QUE ESTÁ FALTANDO: Silício, vitamina C, proteína
ONDE OBTER: aveia, frutas cítricas, carnes magras

terça-feira, 19 de julho de 2011

Nutrindo cabelos e unhas

Unhas e cabelos bonitos não dependem só da escolhas de bons shampoos, cremes e esmaltes.
Se esses tecidos são formados por nutrientes, é muito mais importante pensarmos na matéria prima que estamos fornecendo para uma boa ou má formação: o alimento!

Por isso, para ter cabelos sedosos e unhas fortes, é preciso olhar para o prato.
Uma alimentação rica em alimentos industrializados, dietas desequilibradas e até mesmo incapacidades digestivas (azia, constipação, refluxo e outros sintomas que demonstram dificuldades de absorção), não permitem uma renovação correta dos tecidos, e o resultado são unhas e cabelos frágeis e quebradiços.

Mas quais nutrientes são importantes para fortalecê-los?

- frango, peixes, carnes magras, quinua - Unhas e cabelos são formados por queratina, por isso é imprescindível o consumo adequado desse nutriente que vêm da proteína. Mas isso não significa consumi-lo em excesso o que só sobrecarregaria os órgãos e deixaria o organismo em estado de acidez, piorando o quadro. Uma a duas porções de proteína magra por dia são suficientes.
Esses alimentos são também fontes de ferro, que geralmente está baixo em pessoas com queda de cabelo;
- castanhas, nozes e sementes- esse grupo de alimentos concentram uma quantidade enorme de nutrientes como biotina, magnésio e zinco, que participam da síntese de proteína;
- linhaça e óleos vegetais – hidratam e melhoram a elasticidade dos cabelos e unhas;
- aveia- rica em silício que além de ser importante cofator na formação de colágeno, faz parte da composição da unha e cabelo, sendo necessária sua reposição;
- sardinha, feijão branco, batata doce e gergelim- ricos em cálcio, nutriente que fortalece principalmente as unhas;
- bananas, ameixas e melancia – ricas em vitamina B6, que participa da síntese de queratina, sendo por isso fundamental para a saúde de unhas e cabelos;
- manga, abóbora, mamão e espinafre- fontes de vitamina A, que regula a produção sebácea, reduzindo a oleosidade do couro cabeludo e impedindo que as células se degenerem por causa da oxidação. Ao mesmo tempo, regula a multiplicação das células conduzindo a uma maior elasticidade do cabelo.

O consumo frequente desses alimentos com certeza terá como resultado cabelos e unhas mais fortes e saudáveis.
De qualquer forma, vale lembrar que essa fragilidade de tecidos pode estar diretamente ligada ao stress, que detona os nutrientes do corpo gerando difersos desequilibrios.

Há também a possibilidade de desequilíbrios hormonais, por isso é importante uma investigação mais profunda feita por um profissional sobre verdadeira a origem do problema.

domingo, 10 de julho de 2011

5 alimentos para afiar a memória

Trabalho, casa, academia, viagens, prazos... com a vida cheia de compromissos que temos hoje em dia, é comum a memória dar uma pane de vez em quando.
Mas alguns alimentos e nutrientes dão uma ajudinha extra para que isso não aconteça.


Veja os principais.


Peixes de água fria como salmão, truta e atum- São ricos em ômega 3, nutriente que acelera as sinapses (troca de informações entre as células do cérebro);

Castanhas, abacate e óleos vegetais – Ricos em minerais como zinco, magnésio, cromo e selênio que atuam otimizando as funções cerebrais, e vitamina E que protege os neurônios da oxidação;

Frutas frescas- Cheias de vitaminas antioxidantes e bioflavonóides, protegem o organismo da ação envelhecedora dos radicais livres;


Cereais integrais – Arroz, pão integral e tubérculos como inhame e batata doce fazem parte do grupo dos carboidratos complexos, um combustível cerebral indispensável;


Ovo (de preferência caipira ou orgânico) – Melhor fonte de colina, nutriente essencial para memória já que participa da construção da membrana de novas células cerebrais e na reparação daquelas já lesadas. Seu consumo é imprescindível na gestação, já que participa na formação cerebral saudável do bebê.

Além desses alimentos há um nutriente chamado fosfatildiserina que além se importante para a saúde cerebral, tem um papel também de redução de cortisol, o hormônio do stress, o que pode resultar inclusive em perda de peso. Mas ele deve ser suplementado com a orientação de um profissional nutricionista.

segunda-feira, 4 de julho de 2011

5 alimentos que aquecem o corpo e não pesam na balança

Toda segunda feira de inverno é acompanhada daquela sensação de peso extra por muitas pessoas.
Os exageros são comuns, e o frio nos convida a comer mais.
Mas como passar essa estação sem acumular quilos extras?
Boas escolhas sempre! Existem alguns alimentos que são gostosos e nutritivos e não pesam na balança, desde que sejam consumidos sem exageros.
São "curingas" da estação, já que dão ao corpo a sensação de aquecimento que tanto precisa, e de quebra ainda saciam e nutrem.

Veja 5 exemplos:

1. Mingau de aveia - Quentinho e gostoso, perfeito para aquecer uma manhã ou o fim de tarde gelados. 
A aveia é rica em fibras solúveis, que promovem saciedade e um mineral chamado silício, importantíssimo para saúde da pele, unhas e cabelos.
Como fazer? Coloque numa panela 1/2 xícara de leite (prefira um vegetal como leite de aveia, arroz ou soja), acrescente 1 banana picada e 2 col. de sopa de farelo de aveia + 1 col. de sobremesa de xarope de agave ou mel + 1 col. de chá de canela, e deixe cozinhar até engrossar;

2. Sopa de legumes - Alimento perfeito para a estação. De fácil digestão e nutritiva, a sopa pode ser consumida todos os dias, variando seus ingredientes. Dica: acrescente amêndoas laminadas tostadas ao invés de queijo ralado e tenha uma sopa ainda mais saudável;

3. Chás - De cavalinha, hortelã, camomila, verde, branco... chás acalmam, desincham, desintoxicam e podem até saciar estômagos com sensação falsa de fome;

4. Frutas cozidas - Frutas cozidas na panela, no forno ou até no microondas são uma delicía e saciam aquela vontade de comer um docinho. Acrescente água para não secar, e um pouco de mel ou agave, se achar necessário;

5. Café com leite - Prefira leites com digestão mais fáceis como os vegetais- aveia, arroz, amêndoas, soja- ou o de cabra ao invés do de vaca. Se optar pelo leite de vaca escolha os com baixa lactose.