quinta-feira, 22 de setembro de 2011

Do saudável ao junk food: os dois extremos dos EUA

Estive fora alguns dias em uma viagem para os EUA e mais uma vez volto impressionada com a quantidade de opções de lugares e produtos maravilhosos para quem busca uma vida saudável.
Alimentos orgânicos, sem glúten, sem açúcar, alcalinos, cheios de fibras, sem leite, e o melhor de tudo- muito saborosos e não tão caros-, podem ser encontrados a cada esquina, das vendinhas mais simples às conhecidas grandes redes e supermercados.
Nova Iorque e Califórnia parecem ter sido totalmente contaminados pela filosofia orgânica: até as lavanderias têm esse apelo.

Verdade seja dita: este é um país que induz ao consumismo em todos os sentidos, já que a variedade da oferta é imensa.
Roupas, perfumes, sapatos, eletrônicos, cosméticos,  alimentação: é tudo exagerado, rápido, em massa e em porções gigantescas.
É lá, certamente, que encontramos a maior variedade de gostosuras e comidas fast food do mundo: sorvetes, cookies, pipocas, brownies, cupcakes de todos os tamanhos, cores e sabores imagináveis.
Isso sem contar os hot dogs, french fries, hamburguers, onion rings, salgadinhos chips e tudo de mais gorduroso que possa existir.

Mas, por outro lado, é também o país também o pioneiro (disparado!) no mercado "healthy". Até os produtos industrializados conseguem resultados impressionantes, sem que haja a perda completa dos nutrientes e nem o acrescimo de químicas e ingredientes desnecessários.
Iogurte com lactobacilos (de verdade ;)), papinhas de bebê orgânicas e sem conservantes, sushi de arroz integral, barrinhas de cereais sem os altos índices glicêmicos como as daqui, granola adoçada com agave, danoniho sem corante e sem açúcar são algumas das várias coisinhas encontradas lá, que enlouquecem qualquer nutricionista ou amante de comida saudável.
O próprio Mc Donalds oferece opções orgânicas em seu menu, e existem os restaurantes fast foods em versões saudáveis como o "Better Burguer".
E o melhor de tudo são os preços, bem diferentes dos daqui.
Uma caixa de leite de amêndoas por aqui, por exemplo, custa mais que R$10,00.
Lá, encontra-se facilmente por menos de U$2,00.

Claro que isso tudo acontece também porque ser orgânico, natural e sustentável é hoje em dia, sinônimo de pessoa cool, saudável, informada e consciente, e todas as empresas alimentícias querem ter essas características associadas à a sua marca.

Mas, se o conceito orgânico invadiu os Estados Unidos, é também sinal que existe um público cada vez maior para isso. Um público mais mais informado e exigente, que já entendeu que o consumo de alimentos "calorias vazias" e cheios de química, só vão gerar uma caminhada a passos largos para doenças bem sérias como câncer, obesidade e diabetes. Isso sem contar a curto prazo os desequilíbrios que causam: de baixa imunidade, disposição física, há gastrite, dores de cabeça e dificuldades de concentração.

Se há a oferta dessa magnitude é porque há a procura, e isso já demonstra uma mudança profunda de consciência da população com os maiores índices de doenças causadas pela obesidade.
Mesmo que ainda seja comum encontrarmos aquelas família inteira de americanos obesos mórbidos (principalmente em cidades menores) acredito que já há um movimento de diminuição dessa filosofia de vida, em que as crianças já nascem comendo salgadinho chips. Parece que as pessoas estão se dando conta que comer bem pode ser bom.

Vejo isso acontecer também no Brasil, mas num ritmo mais lento.
Dificuldades de acesso, preços proibitivos e desinformação ainda dificultam um pouco a divagação dessa cultura.
Mas ela vêm acontecendo, e torço para que que cresça a cada dia, para que assim seja cada vez mais fácil nos nutrirmos com saúde.

terça-feira, 13 de setembro de 2011

5 desequilíbrios que disparam a vontade de comer doce


Aquela vontade incontrolável de comer um doce pode ter razões que vão além de uma simples falta de força de vontade.

Algumas situações podem causar desequilíbrios orgânicos que favorecem o um verdadeiro desespero pelo sabor doce, o que dificulta e bota em risco qualquer dieta!
Saiba 5 desses motivos e fique atento se algum deles pode estar acontecendo com você!

1.  Falta de nutrientes – A falta de alguns minerais como cromo, vanádio e zinco, pode causar desequilíbrios no metabolismo da insulina, o que leva a pessoa a sentir uma fome constante. Solução: incluir no cardápio alimentos ricos nesses minerais (nozes, arroz integral, cogumelos, brócolis) ou tomar uma suplementação que os contenha (havendo a carência, o ideal seria uma combinação dos dois!);

      2. Presença de fungos – A candidíase não é uma doença que afeta apenas mulheres como muitos pensam. Trata-se de um fungo que habita o intestino de todos. Havendo desequilíbrio neste órgão, há proliferação da cândida, que instala-se na corrente sanguínea causando cansaço, fome e vontade louca de comer doce, já que o açúcar é seu alimento número 1. Solução: Fazer uma dieta anti- fungos e tomar suplementos específicos para o intestino e para a eliminação da cândida;

     3.  Alimentação rica em refinados – O consumo constante de alimentos refinados, pobres em fibras faz com que a absorção de glicose pelo organismo fique irregular, o que leva a desequilíbrios de energia e mais fome. Solução: Trocar pão, macarrão e arroz brancos pelas versões integrais;
     
      4. Diminuição de serotonina – Uma baixa produção deste neurotransmissor pode levar a desânimo, alterações no sono e compulsão alimentar, especialmente por doces e carboidratos. Solução: Manter o intestino saudável com alimentos e suplementos específicos, já que é nele que acontece a maior parte da produção da serotonina (70%);

     5. Dieta com redução de carboidratos - A redução drástica do consumo deste macronutriente por um período longo pode ser traiçoeira: descompensações que levam ao comer exagerado. Solução: Não cortar totalmente os carboidratos saudáveis do cardápio.


sexta-feira, 9 de setembro de 2011

5 alimentos que não parecem mas são ricos em açúcar!

O consumo excessivo de açúcar tem sido apontado como uma dos maiores fatores de causa de obesidade e doenças como câncer e diabetes, por exemplo.
É impossível fugir dele em alguns momentos, mas em outros, acabamos consumindo sem mesmo saber.
Veja abaixo exemplos de 5 alimentos que são ricos em açúcar e você talvez não saiba!


 1.    Barras de cereal

Elas que estão sempre associadas a uma vida saudável podem ser tão nutritivas quanto um biscoito recheado, acredite se quiser.
Cheias de açúcar de todos os tipos (em forma de xarope, invertido, açúcar simples, glucose), muitas vezes cheios de gordura hidrogenada e carboidratos com alto índice glicêmico, devem ser consumidas com muita cautela e selecionando bem as marcas.
SEMRE leia os ingredientes da barrinha que você escolher e opte pelas que são adoçadas com mel ou frutas secas e de preferência que tenham castanhas ou cereais como aveia e quinua no topo da lista dos ingredientes.

2.    Sucrillhos, muslie e granolas

Muitos desses alimentos, mesmo os integrais e cheios de fibras, são freqüentemente cheios de açúcar. Procure produtos mais equilibrados, que tenham menos ou nenhum açúcar ou faça em casa sua mistura de cereais com aveia, quinua, granola, amaranto, castanhas e frutas secas.

3.    Ketchup

Uma colher de sopa de ketchup chega a ter até uma colher de sopa de açúcar.
Lembre-se que a lista de ingredientes está sempre do maior para o menor.

4.    Iogurtes

Mesmos as versões “light” ou 0% podem ter, além de adoçantes, açúcar na sua composição. O ideal é optar pelos não adoçados, assim você acrescenta o “adoçante” de sua preferência. Boas opções: geléia natural, mel, xarope de agave, adoçante natural stévia, açúcar mascavo e demerara.

    5. Conserva de pepino

Aquela conservinha deliciosa do restaurante japonês é, em geral, cheia de açúcar, portanto cuidado para não exagerar!

segunda-feira, 5 de setembro de 2011

Germinados: entenda porque são tão saudáveis e veja como é simples incluí-los no cardápio

A germinação é o processo pelo qual a  semente se desenvolve, dando origem a uma nova planta.
A água, o oxigênio e o calor, são os principais fatores mediadores  desta transformação. Através da germinação são ativadas as enzimas do alimento que desencadeiam uma série de reações que formam aminoácidos, vitaminas, carboidratos, ácidos graxos, clorofila, minerais e oligoelementos.
Uma planta que está em processo de germinação encontra-se no seu mais alto ponto de vitalidade, e por isso seu valor nutricional é mais elevado neste estágio. Quando germidados, alguns nutrientes do grão/semente/cereal/leguminosa se multiplicam, chegando a atingir um aumento de impressionantes 1400% no caso de certas vitaminas.

A abundância de enzimas, faz dos germinados um alimento de fácil digestão.

Assim temos um alimento fresco, vivo, e com boa fonte de energia para todas as idades.

Outras vantagens dos germinados:

- fortalece o sistema imunológico;
- depurativos e desintoxicantes;
- regenera a flora intestinal;
- tônico geral para casos de fadiga;
- facilitam a digestão;
- funcionam como suplemento vitamínico;
- anti-inflamatórios;
- antioxidantes.


Os germinados podem ser consumidos crus, em saladas, sucos, refogados, em molhos... o que a criatividade mandar.


Para germinar grãos você precisa:
-Escolher as sementes ou grãos, excluir os que estejam danificados e colocar de uma a três colheres de sopa em um vidro com água.
-Deixar de molho por uma noite (8 horas)
-Cobrir o vidro com um pedaço de tule e prender com elástico. Despejar a água e enxaguar bem.
-Colocar o vidro inclinado em um escorredor, em lugar sombreado
-Enxaguar de manhã e à noite
Você pode usar linhaça, gergilim, semente de girassol, alfafa, trigo, soja, lentilha...

Já existe no mercado opções prontas como os da marca BioSprout, que oferece linhaça, lentilha e arroz integral e têm a venda em alguns supermercados ou loja de produtos naturais como o "Quintal dos Orgânicos", em São Paulo.

quinta-feira, 1 de setembro de 2011

Os 5 melhores alimentos para a pele


Não é só de protetor solar e creme anti rugas que sobrevive uma pele!
A alimentação influencia diretamente sua qualidade e alguns alimentos podem fazer revoluções na sua aparência e aspecto, evitando o envelhecimento precoce e devolvendo o viço e sustentação.
Vamos ver as 5 melhores escolhas?



1.   Cenoura
Além de ser rica em betacaroteno, uma vitamina ótima para saúde da pele e bronzeado, é também rica em ácido lipóico, um tônico natural da pele. De preferência à orgânica. Quantidade: 1 cenoura pequena ao dia.


2.   Frutas vermelhas e roxas
Morango, amora e framboesa e uva são ricas em vitamina C, que é antioxidante e atua na produção de colágeno. Além disso, essas frutinhas têm alta concentração de antocianinas, que tem o poder de combater os radicais livres responsáveis pelo envelhecimento de nossa pele. Quantidade: 1 xícara ao dia.



3.   Castanha do Pará
Olha ela aqui outra vez! A combinação do mineral selênio com a vitamina E, faz da castanha um verdadeiro elixir da juventude. Seu consumo freqüente previne e retarda o envelhecimento ou o enrijecimento dos tecidos pela oxidação e contribui para manter a elasticidade natural. Quantidade: duas a três castanhas-do-pará por dia.

 
4.   Salmão
Rico em proteína e gorduras saudáveis, esse peixinho rosa cuida da sustentação e hidratação da pele. Além disso, é rico em DMAE, uma substância eficaz para acabar com a flacidez sob os olhos e do pescoço, além de fazer um lifting no rosto. É inclusive ingrediente de muitos cremes para rugas. Quantidade: 1 posta de 120g 3 vezes por semana.

5.   Germe de trigo
O germe de trigo é uma excelente fonte do mineral que faz par com o selênio na hora de deixar você mais saudável e bonita: o zinco. E tem um monte de vitamina E, outro antioxidante que ajuda a pele a ficar macia e jovem. Tudo isso impede que a camada de gordura da pele oxide, evitando o envelhecimento precoce e a formação de acne e cravos. Comer 1 colher (sopa) de germe de trigo por dia.