quinta-feira, 13 de outubro de 2011

Uma reflexão sobre dia das crianças e outras datas especiais


Aproveitando a semana das crianças, compartilho com vocês o trecho de um texto escrito pela culinarista naturalista que admiro muito, Pat Feldman (http://pat.feldman.com.br/). Ela escreve textos ótimos e ainda é irmã da minha amiga, chef e também parceira de trabalho Gi Schmitt (http://www.giselaschmitt.com/).

O dia das crianças, provavelmente junto com aniversário e Natal, é uma das datas mais esperadas pelos pequenos. É quando as crianças ganham presentes, passeiam com seus pais normalmente tão ocupados, são homenageadas por todos os lados e um monte de outras coisas tão boas. Aí você justamente associa tantas coisas boas a doces, balas, frituras e um monte de outras porcarias. E o que é então que a criança vai associar com coisas boas? Exatamente o tipo de comida que não faz nada bem à saúde!!
As frutas, verduras, legumes, carnes, ovos, queijos e iogurtes, tão importantes numa alimentação variada e saudável, ficam todos relegados ao dia-a-dia chato, apressado, sem brincadeiras e presentes, sem os papais e mamães que estão ocupadíssimos e cansados com seus trabalhos.
O que você acha então que seu filho vai gostar de comer?? Com certeza aquilo que ele associa com os melhores momentos da vida: os tais doces, frituras e porcarias em geral!
Eu vivo me perguntando porque é tão difícil para as pessoas, acreditar que é possível SIM uma criança se deliciar e se lambuzar de alegria ao comer frutas madurinhas, carnes bem preparadas, um ovo cozido morninho ou um potão de iogurte. É justamente porque as pessoas não acreditam nisso, que acham que para alegrar os seus filhos (e muitas vezes compensar a ausência) devem enchê-los de quitutes nada saudáveis.
Eu vejo pais e mães que passam madrugadas em claro se o filho está doente e manhoso. Reclamam, ficam cansados (é claro!), mas ficam. Mas esses mesmos pais e mães pouco ou nunca têm disponibilidade para se cansar durante o dia com seus filhos, passeando no parque, brincando na praia ou ao menos brincando no quarto, dentro de casa, com aqueles brinquedos que o filho adora. Aí de novo vem a criança associar a doença, uma coisa tão desagradável, com a melhor coisa da vida, o aconchego dos pais. E aí quando você falar solenemente para ela não comer “isso ou aquilo” porque faz mal pra saúde, a criança, consciente ou inconscientemente, nem vai ligar tanto, já que doente ela ganha tanto carinho e atenção…

Pense sobre isso na hora de usar um alimento não saudável ou mesmo um presente como recompensa ou como um benefício em dias ou situações especiais.
Uma das primeiras capacidades que as crianças adquirem logo pequeninas é o dom da associação, e vão usar isso sempre que quiserem algo que tenha funcionado numa situação, mesmo que para isso tenham que ficar chiliquentas e manhosas.
E, por mais difícil que seja, procure avitar a associação feriado = porcarias, pois os pequenos naturalmente vão associar comida ruim com momentos de prazer ao lado dos pais. Procure fazer um balanço oferecendo nesses dias também coisinhas saudáveis.

Não eduque seus filhos para pensarem que hamburguers, sorvetes e doces são alimentos especiais no bom sentido, e sim para OCASIÕES especiais, ok?
Assim você evita que maus hábitos e más associações sejam criadas desde cedo ;)



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seu comentário, dúvida ou sugestão é muito bem vindo!